29 novembro, 2017

A hora é agora

Truvada? Saiba como fazer para conseguir a PrEP pelo SUS!

O mês de dezembro a partir de agora será o Dezembro Vermelho, mês da Campanha Nacional de Prevenção ao HIV/Aids, de acordo com a lei recém aprovada pelo senado brasileiro. Ele se inicia com o já conhecido Dia Mundial de Luta Contra o HIV e esse ano chega com uma novidade importantíssima dentro do enfrentamento da epidemia brasileira. Após muita expectativa, a PrEP enfim vai passar a ser distribuída no sistema público de saúde no Brasil.

Esse é um dos maiores marcos dentro da história da epidemia brasileira de HIV, comparável ao início da distribuição gratuita da terapia antirretroviral para as pessoas que viviam com HIV em 1996. Se a distribuição do tratamento naquele ano foi o primeiro passo para que as mortes por aids no país começassem a diminuir e para que a saúde de quem os tomava passasse a melhorar, a chegada da PrEP esse ano deve ser vista como o início de uma nova era da prevenção, em que se espera ver no Brasil a diminuição do número de novos casos de infecção por HIV.

Essa expectativa vem tanto da inquestionável eficácia protetora da PrEP contra o vírus, associada a uma excelente segurança em termos de efeitos colaterais, quanto da experiência que nos mostraram os lugares do mundo que já adotaram a estratégia. Os exemplos são vários: San Francisco, Nova Iorque, Londres, Austrália, todos eles registrando uma queda inédita no número de novos casos de infecção por HIV depois da chegada da PrEP.

Mas o que falta então pra eu começar a tomar PrEP pelo SUS?

Pra começar você precisa saber que os comprimidos de Truvada já foram comprados pelo Ministério da Saúde e precisam agora chegar ao Brasil para serem distribuídos entre os serviços que farão o atendimento da PrEP na rede pública. Serão ao todo, no primeiro ano, cerca de 10.000 pessoas que receberão PrEP gratuitamente, com a projeção de aumento desse número de acordo com o sucesso nessa primeira etapa.

Se tudo der certo nesse processo de chegada e distribuição dos comprimidos, ainda no Dezembro Vermelho a PrEP já vai ser uma realidade. De acordo com o manual que orienta como será esse atendimento, serão priorizadas nesse momento 4 populações consideradas de maior vulnerabilidade: homens gays, pessoas trans, trabalhadores/as do sexo e pessoas que vivem relacionamentos sorodiferentes (em que um vive com HIV e o outro não).

O simples fato de pertencer a um desses grupos não é por si só uma indicação para o uso de PrEP, mas é preciso também identificar falhas na prevenção com o uso apenas da camisinha. Ninguém será obrigado a tomar PrEP, e a escolha de cada indivíduo deve fazer parte da decisão pelo seu início.

Para retirar o seu Truvada pelo SUS a pessoa que tenha desejo e indicação deverá também ser avaliada e acompanhada no sistema público. Por enquanto não será possível retirar o medicamento gratuitamente usando a receita feita por um médico que faça o acompanhamento na rede privada, como acontece com a terapia antirretroviral para pessoas que já vivem com HIV.

Dessa maneira, se quiser já ir adiantando o processo, será necessário ter um Cartão Nacional da Saúde (Cartão do SUS). Por meio deste site, clicando aqui, você pode obter informações sobre isso.

Serão nesse primeiro momento 36 centros que realizarão o atendimento de PrEP no Brasil todo, que estão nesse momento em fase de capacitação. Cada um desses serviços terá seu próprio esquema de triagem e atendimento de pacientes potenciais usuários da PrEP. Veja abaixo a lista dos centros dispensadores de PrEP:

Sugiro que, por enquanto, os interessados na PrEP se informem o máximo que puderem sobre ela e a Prevenção Combinada. Existem diversos textos aqui no UAA sobre o assunto. É importante ter todas as dúvidas resolvidas antes de começar os comprimidos. Faça uma lista de motivos pelos quais acredita que deva tomar a PrEP para levar no dia do seu atendimento. Liste também quais são as suas dúvidas em relação a ela.

E a partir do início da divulgação do início dos atendimentos no Brasil, procure o centro dispensador mais perto da sua casa para se informar como funcionará o serviço lá.

Estamos na reta final da implementação da PrEP no SUS. Se você acredita que se beneficiará dela, agora é só ficar esperto para as campanhas do Dezembro Vermelho para saber a hora em que estará disponível no serviço mais próximo de você.

Faça parte dessa história e vamos juntos controlar a epidemia de HIV no Brasil.


Ricardo Vasconcelos – currículo completo e contatos aqui –, formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), é infectologista do Hospital das Clínicas e trabalha no projeto PrEP Brasil, que você pode conhecer melhor clicando aqui.


Mais textos do infectologista Ricardo Vasconcelos…

A pílula do dia seguinte contra o HIV está de cara nova! Entenda!

Entenda tudo sobre prevenção combinada contra o HIV

Os cuidados que você precisa ter para usar PrEP com Truvada

Você faria um teste de farmácia para o HIV?

Por que se evita falar sobre HIV para a população gay no Brasil?


Aproveite e leia nosso especial sobre HIV!

Parte 1: Especial UAA: precisamos falar sobre o HIV

Parte 2: A verdade: portador do vírus do HIV indetectável não transmite o vírus

Parte 3: Por que você pode namorar um soropositivo e a vida de dois positivos juntos

Parte 4: Por que todos devem começar o tratamento ao serem diagnosticados com o HIV

Parte 5: Dúvidas dos leitores: do sexo oral a efeitos colaterais dos remédios contra o HIV

Parte 6: As novidades do tratamento e por que um homem com HIV pode ter filho sem transmitir o vírus