20 junho, 2017

24 horas em Buenos Aires

De passagem pela capital argentina, UAA dá dicas de onde ficar, comer, passear e badalar. Vem com a gente!

Há algum tempo diz-se que Buenos Aires não está em seu melhor momento. E realmente não esteve. Em 2009, quando a inflação chegou chegando, a bolsa argentina despencou e diversos comércios fecharam as portas. A piada era que a música Don’t Cry for Me Argentina, do musical Evita seria melhor interpretada sem a negativa inicial (Cry For Me Argentina).

Só que isso é coisa do passado. Já faz dois anos – segundo alguns argentinos que conversamos – que Buenos Aires voltou a ser tão colorida como costumava ser. Muita gente na rua, lojas supercharmosas abertas, baladas e barzinhos bombando e museus com exposições descoladas. Isso tudo entrelaçado às construções que remetem mais ao continente europeu que ao pedaço sul-americano do planeta. Está certo: os preços ainda não são dos mais convidativos, mas quem converte, não se diverte, não é mesmo?

Chega de enrolação! Vamos a um cronograma para um dia muy encantador na nossa vizinhança. 1, 2, 3… já!

9:00 Comece o dia escolhendo um bom lugar para tomar da manhã no Palermo Soho. Uma opção é o restaurante COCU Boulangerie (Calle Malabia, 1510), eles têm um croissant de chocolate de lamber os dedos. Em tempo: quando fomos, eles não aceitavam cartão de crédito internacional, mas aceitavam reais ou dólares.

Está de barriga cheia e a animação nas alturas? É o momento de desbravar o centro comercial a céu aberto. As lojas dessa região são charmosas e convidativas – dá para comprar roupas em comércios multimarcas despretensiosos, flagrâncias em perfumarias caseiras, objetos para a casa (que a gente não precisa, mas quer muito), e por aí vai.

“Abaporu” (1928), de Tarcila do Amaral,é o maior representante do movimento antropofágico no Brasil. Faz parte do repertório do MALBA.

12:00 Buenos Aires é um cidade completamente plana, ou seja, o melhor meio de transporte são os seus próprios pés. Caminhando em direção a Recoleta, bairro vizinho de Palermo e tão charmosa quanto, você cruza por dois museus de peso da capital, o Museu de Arte Latino-Americana de Buenos Aires (Av. Pres. Figueroa Alcorta 3415), mais conhecido como MALBA, e o Museu Nacional de Belas Artes (Av. del Libertador 1473). O primeiro é a casa de diversos quadros do movimento modernista, como o “Abaporu”, da Tarsila do Amaral. O segundo, é um dos principais centros de arte da America Latina, hospedando Picasso, Francisco de Goya, Monet, Manet, Van Gogh, Pierre-Auguste Renoir e muitos outros.

Detalhes da exposição “In Another Country”, de Hugo Aveta

Se estiver por lá até 9 de julho, não deixe de conferir os trabalhos de Hugo Aveta, reunidos na exposição In Another Country. Trata-se de uma cooperação entre o museu e a Korea Arts Management Service e o Centro Cultural Koreano na Argentina, resultando num olhar sensível sobre as catástrofes humanas. É de arrepiar os pelos do corpo todo.

14:30 Momento de cruzar o centro da cidade, passando pela famosa Av. 9 de julho, pelo obelisco, pela rua Florida – também cheia de comércio –, pela Casa Rosada – a sede da presidência da república argentina –, até chegar em Puerto Madero, onde comer é sempre uma boa ideia. Por muito tempo, foi o principal porto de Buenos Aires, mas hoje é um prato cheio de restaurantes (além de ter a famosa Ponte da Mulher, erguida pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava).

Corte de carne argentino especial do Cabaña Las Lilas, em Puerto Madero

Quer carne? Vá ao Cabaña Las Lilas (Av. Alicia Moreau de Justo 516). Quer comida italiana? Faça check-in no Marcelo Cocina Italiana (Av. Alicia Moreau de Justo 1140). A gente já adianta que as preliminares são tão interessantes quanto o prato principal e a sobremesa – abuse dos aperitivos em ambos os recintos!

A fachada imponente do hotel Alvear Palace Hotel & Residences

Este mês (junho/2017), o hotel Alvear Palace Hotel & Residences (Azucena Villaflor 559) abriu as portas ali. Com selo Leading Hotels of the World, hospedar-se na nova empreitada – com vista para o Rio da Prata – é praticamente mandatório.

O agito da feirinha de San Telmo

16:00 Bem perto dali – coisa de 20 minutos andando às margens do Rio da Prata – está a feirinha de San Telmo (apenas aos sábados, hein?), um mercado de pulgas para ninguém colocar defeito. E também o Museu de Arte Moderna (Av. San Juan 350), conhecido como MAMBA, onde duas exibições chamaram a atenção de UAA.

Algumas teias de aranhas que fazem parta da exposição de Tomás Saraceno no MAMBA

Em Cómo Atrapar El Universo en Una Telaraña, de Tomás Saraceno, você caminha entre teias de aranhas de verdade para perceber que algo que aquilo que a gente morre de nojo – e derruba sem pensar duas vezes! – pode ser considerado um obra de arte da natureza. Se tem aracnofobia, nem pense em pisar nas salas do subsolo e do segundo andar do museu. Fica até 27 de agosto (2017) por lá, não dá para perder, hein?

Uma das salas lúdicas de “El Presente Está Encantador”, de Diego Bianchi

Outra expo que merece a visita é a El Presente Está Encantador, de Diego Bianchi. É uma experiência itinerante que te obriga a interagir com as obras – abaixar, abrir e fechar portas e subir em colchão mofado são apenas algumas das tarefas do passeio que só fica por lá até 6 de agosto (2017). Divertidíssimo!

Turistas abocanhando as delícias do restaurante The Argentine Experience

20:30 Hora de voltar para Palermo, mas, desta vez, na parte conhecida como Hollywood. Mais precisamente no restaurante The Argentine Experience (Fitz Roy 2110), onde diversos estrangeiros (sim, não são nativos) dão um show de culinária típica argentina. É para sair rolando – e com o sorriso no rosto. Aliás, por falar em comida e em sorriso, o alfajor que se tornou o grande concorrente do famoso Havanna é o Cachafaz. UAA, particularmente, achou mais gostoso que as receitas com dulce de leche que conquistaram o mundo! :)

Eis o bar gay Sitges

00:00 Bora tomar uns bons drinques? O bar Sitges (Av. Córdoba 4119) é bem receptivo aos viajantes gays solitários: você senta no bar, escolhe uma bela birita e aprecia clipes de divas do pop. Luxo, né?

A agitação da balada gay Glam Disco

2:00 Não reclamem, não foi a gente que escolheu a hora que as baladas gays bombam em Buenos Aires. O club que baixa gente bonita, descolada e pronta para a guerra é a Glam Disco. Não deixe de entrar no Facebook deles antes de dar pinta lá para saber os esquemas da noite – tem lista VIP com horário marcado, por exemplo, que você odiaria perder por culpa de alguns minutinhos. Chegando lá, é só curtir o som e, quem sabe, uns beijinhos em espanhol. Ui!

9:00 Dormir! Afinal, nosso guia é só de 24 horas! :P


Leia mais…

Carioca da gema por um dia? Airbnb lança experiências no Rio guiadas por um nativo

Separamos as casas para alugar mais luxuosas do mundo. Vem viajar!

Quer alugar a casa que Lady Gaga ficou no Coachella?

Um hotel-butique e spa pé na areia para alívio do corpo e da alma

Tá preparado para a próxima semana gay de Aspen?

Os cinco hotéis da bahia que fazem a gente sonhar