18 maio, 2017

Meça sua língua

As oito frases homofóbicas que estamos acostumados a escutar por aí, mas… BASTA!

Dizem que as grandes capitais estão se vacinando contra a homofobia, mas isso ainda não é uma realidade. No Brasil todo, a cultura do “veado” como algo pejorativo ainda é disseminada e começa quando as crianças são pequenas. Se alguém não gosta de futebol, ou não sabe jogar bem… Se gosta de moda, é “fresco”. Faz as sobrancelhas, é “boiola”. Existem algumas frases, inclusive, que estamos acostumados a escutar, mas chegou a hora delas deixarem de ser status quo. Algumas delas, escutamos até de outros – que curioso! – gays… Veja a nossa lista abaixo e diga se já não está calejado de escutar frases do tipo.

1 – “Isso é muito gay”

Defina para nós, meu caro, o que é muito gay? O que é muito heterossexual? O que é muito bissexual? Não existe nada que possa ser definido como exclusividade de um gênero…

2 – “Você chuta como uma garota”

Nenhuma habilidade esportiva pode ser relacionada ao sexo ou gênero do jogador. Ah, só para constar, se chutar como uma garota for igual a jogar futebol como a Marta Vieira da Silva, da Seleção Brasileira de Futebol, a gente agradece o elogio!

3 – “Eu não tenho problema algum com gays, só não quero que meus filhos sejam…”

Isso significa que você tem problema com gays, sim.

4 – “O que as lésbicas fazem na cama?”

A gente precisa responder?

5 – “Você é passivona!”

Desde quando é pejorativo gostar mais de uma coisa, na cama, que outra? Posso ser passivona, ativona, relativona, o que você quiser… Entre quatro paredes o importante é estar feliz e confortável.

6 – “Você escolheu ser gay, né?”

Não. A gente escolhe usar uma roupa, escutar uma música, cortar o cabelo. Sentir atração por um sexo ou outro, ou os dois, ou os três (…) não é escolha, é uma condição sexual. Aposente a qualificação de “opção sexual”, por que isso é coisa do passado.

7 – “Eu não tenho problema com gays, só não gosto que eles fiquem se agarrando na minha frente”

O problema evidentemente está na pessoa que diz algo como isso, afinal, o casal que segura as mãos ou se beija em público está muito feliz, obrigado.

8- “Nossa, que desperdício!”

Sim, mulheres adoram dizer isso – ou variantes – para homens. O que é desperdício? Sua própria condição sexual?

Fez as contas de quantas vezes escutou essas barbaridades?


Leia mais…

“Dizer o gênero antes da profissão de alguém é um erro”, diz Jamie Clayton de Sense8

“A gente tem que seguras as mãos em público”, diz nadador gay Ian Thorpe

Hurts lança clipe emocionante contra a violência LGBT. Vem! 

Escola cria uniforme unissex para as crianças