13 junho, 2016

Telefone sem fio

Conheça a história de Alex e Igor, um namoro que começou por telefone e antes do primeiro toque. Morando juntos, eles já pensam em adotar uma criança

HAO ALEX COST e IGOR PEREIRA 2

Alex e Igor: amor à primeira loucura

Universo AA pediu que leitores enviassem suas histórias para serem publicadas no site, na seção In Love. E a segunda história eleita por nós é a de Alex e Igor, meninos que acreditaram no amor antes mesmo de se conhecerem pessoalmente e, de cara, foram morar juntos. Deu tão certo hoje já pensam em adotar uma criança

  ALEX (4)

Alex Jr. Costa Silvério, 25 anos, designer

No fim de 2012 eu estava em Jandaia do Sul, no Paraná, após uma tentativa frustrada como modelo em São Paulo. Não tinha vontade de nada, nem de namorar. Mas, em maio de 2013, recebi uma mensagem numa rede social. O nome dele? Igor. Um belo rapaz que morava em Ipatinga, em Minas Gerais. Porém, logo concluí que não havia muito sentido flertar com alguém de tão longe, não é mesmo?

No entanto, eu sempre fui romântico e tinha em mente encontrar um parceiro que fosse para o resto de minha vida e acabei, no dia seguinte, respondendo a mensagem que virou uma conversa de horas. Os dias passaram, trocamos telefone e o encantamento foi imediato. Sem câmera no computador à época, mandávamos fotos. Jamais vou me esquecer do primeiro “eu te amo” dito numa das ligações: foi em 4 de junho de 2013! Sim, nossa história começou num namoro por telefone! Ríamos, chorávamos. Chegamos a dormir juntos com o celular ligado para ouvir a respiração um do outro.

Com os meses passando fomos nos desesperando. Nenhum de nossos pais toparia receber o namorado do outro. Mas, no fim de novembro daquele mesmo ano um grande amigo dele, comovido com nossa história, propôs que fossemos para Salvador. Lá começamos juntos uma nova história, precisamente no mês de dezembro. Recordo-me que quando desci do avião entrei em pânico. Ao nos vermos nos abraçamos bem forte e rolou até um selinho no meio de aeroporto!

Moramos em Salvador por 15 meses em um pequeno apartamento a 200 metros da praia de Itapuã. Este foi o palco de muitas alegrias, conquistas, brigas, discussões, tudo que um casal geralmente acaba vivendo. A capital da Bahia foi a cidade que marcou pra sempre nossas almas por ter sido o lugar onde nos vimos pela primeira vez – e também onde algumas dificuldades nos fizeram separar até que eu voltasse ao Paraná. Felizmente durou pouco!

Mais ou menos um mês depois ele veio morar aqui e eu já havia preparado tudo na casa que moramos até hoje. Em três anos de relacionamento crescemos muito. Com ele aprendi a ser mais forte e batalhar com todas as minhas forças por algo que desejo.

Atualmente eu estou montando minha agência de comunicação e publicidade e ele está comigo nessa. Somos uma equipe, sempre fomos! Estamos batalhando para crescer e para que, num futuro próximo, possamos adotar uma criança.

IGOR.

Igor Augusto Araújo Pereira, 32 anos, administrador

Foi em maio de 2013 que tudo começou. Eu estava em casa, em Minas Gerais, quando eu vi um cara que me interessou muito numa rede social. De repente começamos a conversar: papo bacana, bonito, aparentemente atraente…

Após essas primeiras conversas via rede social trocamos o números de telefone e, a partir deste momento, ele foi a única e perfeita companhia que existia para mim. Grudamos um ao outro de tal forma que não dava para acreditar que ainda não havíamos nos tocado. Digamos que eu já sentia que ia ser a coisa mais perfeita que poderia acontecer em minha vida. E assim foi – com algumas dificuldades, é claro.

Porque havia um problema: 1500 quilômetros separavam a gente. E não tínhamos a menor noção de como nos encontrar. Só sabíamos que os meses iam se passando e o amor já tinha tomado conta da gente!

Um dia acabei contando o que estava acontecendo para um grande amigo meu da cidade de Salvador. Para nossa surpresa, ele acabou dando um belo pontapé em nossa história. Nos encontramos pela primeira vez e, de cara, fomos morar juntos. Tipo loucura à primeira vista.

As dúvidas foram sendo soterradas em Salvador e tudo foi se encaixando e acertando de tal forma que ninguém ao nosso redor acreditava. Em menos de três meses estávamos morando dentro da nossa casa, com tudo pronto para vivermos bem e felizes.

Hoje, depois de pouco mais de três anos, tudo está perfeito. Sou um cara feliz ao lado dele e tenho a convicção de que vamos mais longe. E tenho a certeza de que temos ainda muito para crescer e acertar em nossa relação, como são os relacionamentos verdadeiros.

Nesse tempo de relação aprendi muito com ele. Principalmente sobre o que é a vida de verdade, a família. E a dedicação que faz sobreviver as relações. Estamos numa empreitada juntos e batalhando para que tudo dê certo. E quem sabe ter dois filhos, dois cachorros, dois gatos. O importante é que sinto-me realizado por tê-lo ao meu lado. O amo muito. E cada dia mais.


Leia mais da seção In Love!

Benjamin e André: pedido de namoro no segundo dia, na pista de dança

Fabrício e Guilherme, a dupla que se rendeu a um amor

Péricles e Luis, um casal que embarcou numa viagem de amor 

Rafael e André, os meninos de Juiz de Fora que se trombaram para jamais se separar

A história de Beto e Aru, um amor leal que já dura 12 anos