21 abril, 2016

Vida real

O drama pornô de James Franco está com tudo, mas um dos personagens representados no filme, o ator pornô Brent Corrigan, tem se indignado e feito barulho contra o filme que ele diz ter “desgraçado” sua vida, entenda!

Brent-Corrigan-brent-corrigan-11587410-1100-990

Brent Corrigan não acha que o filme fala da realidade

O mais novo drama pornô de James Franco tem feito muito barulho nos Estados Unidos. Chamado de King Cobra, a trama trata do  do assassinato de Bryan Kocis, o dono do Cobra Videos (estúdio pornô gay), em 2007. O filme recebeu aclamação da crítica e até foi premiado no Festival de Filmes de Tribeca.

Mas nem todo mundo ficou satisfeito com o resultado do vídeo. Brent Corrigan, por exemplo, que é um dos maiores nomes da indústria pornô americana, acusou a indústria de Hollywood de denegrir e desgraçar sua vida.

O drama de Franco mostra Corrigan, interpretado pelo ex-Disney Garrett Clayton, ainda no início de sua carreira. Ele era um dos destaques do Cobra Vídeos e, aparentemente, um grande contato com Kocis. Quando o chefe foi morto, Corrigan foi uma das testemunhas na acusação dos assassinos Harlow Cuadra e Joseph Kerekes, justificando uma disputa que ocorria dentro da indústria pelo seu nome.

King-Cobra-Movie

Cena do filme com James Franco

Brent Corrigan, nome artístico de Sean Paul Lockhart, foi ao Twitter desabafar: “Não é apenas por mim. Estes cineastas não ligam para nada além da opinião deles próprios sobre tudo”. Lockhart ainda disse que mostrará seu ponto de vista sobre o ocorrido em seu livro, ainda a ser lançado, Incorrigible.

O astro pornô já tinha revelado ter sido procurado para estrelar o filme, mas preferiu se dedicar ao livro e não participar de uma “exibição dos eventos na visão de outra pessoa”, já que ele viveu tudo aquilo, quando ainda mais jovem. “Mesmo com o tempo que se passou, as memórias ainda são muito reais e duras para mim”.

O diretor do filme, Justin Kelly, se defendeu, e disse que não quis fazer cenas que chocassem, mas que não fossem apologéticas: “Não tive o desejo de chocar – é parte da história. Eu e os atores discutimos desde o primeiro dia que você não pode impedir nada de aparecer”.


Leia mais…

Indústria do pornô ganha batalha que a libera do uso da camisinha